Empresas criam gene que fortalece milho contra herbicida

Cientistas do setor privado norte-americano estão desenvolvendo plantas geneticamente modificadas com um novo gene de resistência ao herbicida glifosato - semelhante ao da tecnologia Roundup Ready (RR), da Monsanto, só que potencialmente mais eficiente. Caso chegue ao mercado, será o primeiro concorrente da Monsanto em quase dez anos.O projeto envolve pesquisadores de duas empresas californianas, Verdia e Redwood, e da Pioneer, uma subsidiária da DuPont, que compete diretamente com a Monsanto em biotecnologia agrícola.Eles criaram um gene que, inserido nas plantas, codifica a enzima GAT, que tem a capacidade de degradar o glifosato. O material genético veio de bactérias naturais do solo.Eliminando glifosatoO resultado é o mesmo da tecnologia RR: a planta transgênica exposta ao glifosato sobrevive, mas as ervas daninhas em torno dela morrem. Só que o mecanismo de resistência é diferente.Normalmente, o glifosato atua sobre uma enzima chamada EPSPS, impedindo que a planta produza aminoácidos para sua sobrevivência. Como defesa, os transgênicos RR produzem uma enzima alternativa, que substitui a EPSPS e mantém o vegetal funcionando normalmente. Já a enzima GAT ataca diretamente o glifosato, eliminando-o do organismo da planta.Teste com milhoOs experimentos de campo estão em estágio inicial, mas testes com milho em casas de vegetação já demonstraram resistência a seis vezes mais glifosato do que os agricultores normalmente utilizam no campo."Estamos agora avaliando o potencial comercial de diferentes variantes genéticas", disse ao Estado a pesquisadora Linda Castle, que coordena o estudo na Verdia. Os primeiros resultados estão na revista Science. A chegada ao mercado, segundo Linda, ainda pode levar de cinco a dez anos.

Agencia Estado,

21 de maio de 2004 | 12h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.