Encontrada estrela de 12 bilhões de anos

Astrônomos descobriram uma estrela, perto do centro da Via-Láctea, que pode ser um exemplo da composição do Universo pouco mais de um bilhão de anos depois do Big Bang - que teria ocorrido há 13 bilhões ou 14 bilhões de anos. A estrela recém-descoberta tem 12 bilhões de anos. Seu conteúdo de metais é extremamente baixo, muito menos de 1% do encontrado no Sol. ?Metal?, em Astronomia, é um termo que se refere a todos os átomos mais pesados, não apenas aos elementos metálicos propriamente ditos. O conteúdo dessa estrela é apenas 5% do encontrado na estrela menos metálica conhecida até então, descoberta em 1977.A idade da estrela e sua composição colocam-na na segunda geração de corpos celestes, formada após o surgimento do Universo. O modelo normalmente aceito para a evolução do Universo supõe uma primeira geração de estrelas composta quase que exclusivamente por hidrogênio e hélio; ao explodir, essas estrelas teriam semeado os primeiros átomos pesados pelo espaço, e esses átomos - os ?metais? - teriam entrado na composição da geração seguinte, e assim por diante.O astrônomo Michael Bessell, do Observatório de Monte Strolmo, na Austrália, um dos descobridores da estrela, diz que o corpo celeste ?remonta às primeiras épocas do Universo?. Chamada de HE0107-5240, a estrela será descrita, neste semana, na revista ?Nature?. Localiza-se na constelação de Peixes, mas sua luz é muito fraca para ser observada a olho nu. A HE0107-5240 encontra-se a 36 mil anos-luz da Terra.

Agencia Estado,

30 de outubro de 2002 | 17h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.