Encontrada teia de aranha mais antiga do mundo

Fóssil encontrado em um pedaço de âmbar comprova que aranhas já teciam durante a época dos dinossauros

AP

15 de dezembro de 2008 | 19h10

A teia de aranha mais antiga do mundo foi encontrada em um pedaço pré-histórico de âmbar, disse um cientista britânico nesta segunda-feira, 15. O paleobiólogo Martin Brasier, da Universidade Oxford, disse que a teia de 140 milhões de anos prova que os aracnídeos já teciam suas teias durante a época dos dinossauros. Ele também disse que as linhas se ligavam em um padrão aproximadamente circular, familiar para jardineiros de todo o mundo.  "Você pode ligar detalhes entre essa teia e as teias que encontro em meu jardim", disse Brasier. A teia foi encontrada em um pequeno pedaço de âmbar, descoberto por um caçador de fósseis amador nas praias da Inglaterra há cerca de dois anos, disse. Um microscópio revelou a existência de minúsculos fios de 1 milímetro de comprimento no meio de seiva e vegetais fossilizados.  Embora não tão dramático quanto uma teia completamente preservada, os minúsculos fios mostram que as aranhas já faziam teias em círculos na pré-história, de acordo com Simon Braddy, da Universidade de Bristol. "Não é uma surpreendente, perfeita teia", disse Braddy. "Mas isso parece confirmar que as aranhas faziam teias no início do Cretáceo." O especialista em aranhas acredita que as teias tenha sido desenvolvidas ainda antes, mas matérias delicados como esse raramente deixam qualquer traço.

Tudo o que sabemos sobre:
ciência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.