Encontrados machados de 1,83 mi de anos na Malásia

Segundo pesquisadores, ferramentas desse tipo encontradas são as mais antigas do mundo

AP,

30 de janeiro de 2009 | 16h59

Arqueólogos malaios descobriram machados pré-históricos de pedra que disseram nesta sexta-feira, 30, serem os mais velhos do mundo, com cerca de 1,8 milhão de anos.  Sete machados foram encontrados com outras ferramentas em um sítio arqueológico ao norte da Malásia em junho, e testes realizados por um laboratório de Tóquio indicaram que eles têm cerca de 1,83 milhão de anos, disse Mokhtar Saidin, diretor do Centro de Pesquisas Arqueológicas da Universidade de Ciência da Malásia.  O grupo divulgou suas conclusões na quinta-feira, 29, e outros arqueólogos ainda não analisaram as descobertas.  "É realmente a primeira vez que temos evidências datando de 1,83 milhão de anos atrás", disse Mokhtar, dizendo que os machados anteriores mais antigos tinham 1,6 milhão de anos e foram encontrados na África.  No entanto, outras ferramentas de corte, assim como restos humanos, foram encontrados na África e são muito mais antigos, com alguns datando de 4 milhões de anos atrás, disse.  O resultado da datação tem uma margem de erro de 610 mil anos, disse.  Algumas descobertas anteriores sugeriram que havia humanos no sudeste da Ásia há 1,9 milhão de anos, mas esses resultados têm sido contestados, disse Harry Truman Simanjuntak, do Centro nacional de pesquisa Arqueológica,e m Jacarta.

Tudo o que sabemos sobre:
ciênciaarqueologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.