Endeavour chega à Estação Espacial levando laboratório japonês

O ônibus espacial Endeavour atracou naquarta-feira na Estação Espacial Internacional, a mais de 320quilômetros de altitude, levando consigo um laboratóriojaponês. A abordagem aconteceu acima de Cingapura, ao final de doisdias de viagem desde a decolagem no Centro Espacial Kennedy(EUA), na madrugada de terça-feira. Seguindo a tradição naval, um sino soou na Estação paraanunciar a chegada do ônibus. O Endeavour deve passar 12 dias na Estação, período em quea tripulação sairá cinco vezes ao espaço para instalar aprimeira parte do laboratório japonês Kibo e um sistemarobótico canadense, o Dextre, que fará trabalhos maisminuciosos no exterior da Estação. O Kibo ("esperança") é a principal contribuição japonesa àEstação, um projeto que custa 100 bilhões de dólares e envolve15 países. Ele deve terminar de ser montado no começo de 2009e, com o tamanho de um ônibus de dois andares, será o maiorlaboratório da Estação. Os astronautas também pretendem testar uma técnica deconserto do escudo antitérmico do ônibus, o que pode servirpara a missão de manutenção do Telescópio Espacial Hubble,neste ano. Nessa missão, em caso de defeito, os astronautas nãoterão a opção de se refugiar na Estação, que estará longedemais. Ao se aproximar na quarta-feira, o comandante do ônibus,Dominic Gorie, fez uma manobra para que os astronautas daEstação pudessem fotografar a barriga do Endeavour, parte deuma inspeção de segurança adotada depois do acidente de 2003com o ônibus Columbia. Aquele ônibus explodiu na volta à atmosfera, matando ossete tripulantes, porque na hora da decolagem uma placa doescudo antitérmico se soltou, abrindo um rombo na asa esquerda. Na quarta-feira, os astronautas já haviam examinado oescudo antitérmico do Endeavour com a ajuda de um braçorobótico equipado com câmeras e raio laser. Mike Moses, diretor de vôo da Nasa, disse a jornalistas queaparentemente tudo está bem com a nave. Engenheiros da Nasaainda estão analisando uma possível colisão com um pássaro nobico do ônibus, cerca de 10 segundos após a decolagem, masaparentemente isso não provocará problemas no pouso, segundoMoses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.