Equipe desenvolve proteína que ataca células de câncer

Cientistas de Cingapura anunciaram nesta terça-feira que desenvolveram uma proteína sintética capaz de identificar e destruir células cancerosas, informou a agência Efe.As pesquisas foram realizadas pelo Instituto do Genoma de Cingapura (GIS) e pela Universidade Nacional de Cingapura (NUS). Os pesquisadores afirmam que o medicamento à base desta proteína evitou o crescimento de tumores cancerígenos em ratos e frangos em laboratório, e que agora podem planejar testes em humanos.A vantagem do ataque específico às células cancerosas está na redução ou eliminação dos efeitos colaterais característicos dos atuais tratamentos de câncer. Os medicamentos em uso atacam tanto as células doentes como as normais, e causam queda de cabelo, náuseas e vômitos, entre outras reações indesejadas.Embora a proteína interrompa qualquer tipo de divisão celular, informa a Efe, os cientistas centraram seus estudos no tratamento de determinados tipos de câncer, como o cervical,causados pelos Vírus do Papiloma Humano (HPV).O cientista Stephen Hsu, chefe do GIS, acredita que o desenvolvimento desta proteína permitirá produzir remédios capazes de um ataque mais eficaz ao câncer, mesmo em pequenas doses.

Agencia Estado,

07 de dezembro de 2004 | 15h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.