Equipe encontra 800 tumbas de romanos e francos

Um grupo de arqueólogos descobriu, em uma mina de carvão em Inden (Renânia do Norte-Westfália, oeste da Alemanha), um antigo cemitério com tumbas romanas e francas de um período que vai dos séculos III a VII.O Escritório de Conservação Arqueológica de Titz informou que em algumas das tumbas há valiosos objetos funerários, como broches de prata com pedras preciosas, redes e recipientes de barro e de vidro.Cerca de 750 tumbas são de francos e só 50 de romanos, acreditam os arqueólogos. Essa mistura ainda não havia sido descoberta na Alemanha, explicou o diretor dos trabalhos de escavação, Bernd Paeffgen.Mudança pacíficaO arqueólogo disse que a combinação de tumbas romanas e francas poderia ser explicada pelo fato de que a mudança de poder nessa região do Rin aconteceu de maneira mais pacífica do que se pensava até agora."Quando um povo não tem nada a ver com o outro, não se enterram juntos", afirmou Paeffgen. No entanto, isso não impediu que os francos saqueassem os ataúdes romanos e usassem as tumbas para seus mortos.O grupo de arqueólogos apresentará a descoberta ao público no próximo dia 2 de julho, Dia da Arqueologia.

Agencia Estado,

28 de junho de 2005 | 12h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.