ESA lançará satélite para medir a gravidade da Terra em março

Um comitê acaba de chegar ao Cosmódromo Plesetsk para organizar questões logísticas da missão do Goce

da Redação,

04 de fevereiro de 2009 | 17h16

Equipe da Agência Espacial Europeia (ESA) está retornando à Rússia para supervisionar as preparações para o lançamento de seu satélite Goce, que deve partir no dia 16 de março. Isso decorre da implementação de medidas corretivas depois da anomalia com o foguete lançador, que atrasou o lançamento do Goce em outubro.  Veja também: Satélite para medir campo gravitacional da Terra é adiado Um comitê da ESA acaba de chegar ao Cosmódromo Plesetsk, no norte da Rússia, para organizar questões logísticas enquanto a equipe de engenheiros chegará apenas na metade de fevereiro.  O satélite Goce, de cinco metros de comprimento, esteve guardado em seu local de lançamento desde outubro. Uma vez que a equipe da ESA e engenheiros da Thales Alenia Space cheguem, começará o trabalho de preparo para o lançamento. Como contratante principal, a Thales Alenia Space liderou o consórcio europeu de mais de 40 companhias na construção do satélite.  O gerente do projeto, Danilo Muzi, disse que "a equipe está realmente ansiosa para o lançamento e para terminar o trabalho interrompido no ano passado. O lançamento em algumas semanas será a recompensa merecida para todos os seus esforços." O Goce é o primeiro de uma série de satélites de observação da Terra chamados de Explorers. Essas pequenas missões são desenvolvidas em resposta direta a uma série de questões identificadas pela comunidade científica, e para demonstrar novas tecnologias no espaço. O satélite foi projetado para orbitar a apenas 250 quilômetros acima da superfície da Terra.  O Goce (Explorador de Gravidade e da Circulação dos Oceanos), destinado a medir a gravidade terrestre e realizar estudos sobre o clima, os mares e a estrutura interna do planeta, foi criado por um conjunto de empresas europeias. (Com Efe)

Tudo o que sabemos sobre:
GoceESA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.