Escorpião gigante vivia também fora da água

Paleontólogos britânicos descobriram as pegadas de um escorpião de água gigante, que viveu na Escócia há 330 milhões de anos. A pegada, que mede 1,6 metro, pertence a um tipo de escorpião chamado Hibbertopterus, que vivia na água, mas que também podia se movimentar pela terra.Os cientistas pensavam que o escorpião gigante morreria se saísse daágua, mas esta descoberta demonstrou que o animal também podia viverem terra firme.Martin Whyte, especialista da Universidade de Sheffield, no norte da Inglaterra, encontrou as pegadas do animal durante um trabalhogeológico no centro da Escócia. "Encontrei um pedaço de rocha com um grande sulco central com três fileiras de pegadas em forma de meia lua de cada lado", disse Whyte.A equipe de pesquisadores já tinha descoberto partes fósseis do escorpião na mesma região, mas Whyte se deu conta de que essas pegadas gigantes podiam pertencer a apenas um escorpião gigante.O Hybbertopterus não foi a única criatura que fez sua estréia em terra firme naquela época: muitos artrópodes e répteis já se movimentavam por terra firme.

Agencia Estado,

01 de dezembro de 2005 | 12h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.