Esgoto é o pior problema ambiental nos municípios

No país onde 47,8% dos municípios não tinham serviços de esgotamento sanitário, segundo o Censo 2000, e 44,7% dos domicílios não estão ligados à rede coletora, o esgoto a céu aberto é o pior problema ambiental.Foi apontado como fator poluente por 1.031 (46%) dos 2.263 municípios que declararam sofrer danos ambientais que atingem diretamente a população, segundo a Pesquisa de Informações Básicas Municipais - MUNIC, divulgada nesta sexta-feira pelo IBGE.Pelo menos outros 500 municípios registraram problemas de poluições decorrentes do esgoto jogado na natureza em outras partes do questionário, como a que trata de poluição das águas.Uma das conseqüências mais dramáticas do saneamento deficiente é a mortalidade infantil, de crianças com até um ano de idade. O IBGE detectou 1.159 municípios com taxas alarmantes de mais de 40 mortes por mil nascidos vivos, índice que a Organização Mundial de Saúde (OMS). Desse total, 1.086 estão no Nordeste, 48 no Norte e 25 em Minas Gerais.?Os municípios que têm as maiores taxas de mortalidade são também os que explicitam mais problemas de saneamento. Neste item, os gestores deram respostas bem coerentes?, diz a socióloga Sônia Oliveira, pesquisadora do IBGE.A taxa mais alarmante ocorreu na microrregião de Alagoas que inclui os municípios de Água Branca, Canapi, Inhapi, Mata Grande e Pariconha e chegou a 88,5 bebês mortos por mil nascidos vivos.acesse:  Perfil dos Municípios Brasileiros - Meio Ambiente 2002

Agencia Estado,

13 de maio de 2005 | 18h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.