Espanha começa a liberar pesca de mariscos

Um pequeno segmento da indústria galega de mariscos recebeu autorização para reiniciar sua atividade nesta segunda-feira, mais de dois meses depois que um vazamento de petróleo do navio Prestige ter coberto grande parte da costa regional com uma espessa camada de óleo. No entanto, alguns pescadores disseram que a medida é prematura e que eles precisam de maiores garantias de que o oceano está limpo, além de desejarem evitar reduzir os preços, inundando o mercado com seus produtos. Após o pior desastre ecológico da Espanha, o governo da Galícia retirou a proibição para as técnicas de coleta de pequenos mariscos e outros moluscos encontrados à beira-mar, e de santolas, ou caranguejos do mar, em águas não profundas. A proibição foi retirada em 450 km da linha costeira, desde a localidade de Muros até La Guardia, na fronteira com Portugal, ao sul.Grande parte destas águas escapou da contaminação espalhada pelo Prestige, que derramou cerca de um quarto das 77.000 toneladas de combustível que carregava. Ali, a proibição foi preventiva. Mas a proibição de pesca ao longo dos 1.100 km de praias da Galícia continua em vigor.

Agencia Estado,

03 de fevereiro de 2003 | 14h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.