Espanha e Reino unido lideram consumo de cocaína na UE

A Espanha e o Reino Unido estão entre os países da União Européia (UE) onde mais se consumiu cocaína no último ano, com níveis semelhantes aos dos Estados Unidos. Segundo o relatório anual do Observatório Europeu das Drogas e as Toxicomanias (OEDT), apresentado nesta sexta-feira, a cocaína "está se transformando na droga estimulante preferida" dos jovens europeus.A situação é especialmente preocupante na Espanha e no Reino Unido, onde mais de 4% dos jovens e adultos entre 15 e 34 anos consumiram a droga nos últimos 12 meses.Embora o consumo de cocaína ao longo da vida seja maior entre a população dos Estados Unidos, "a diferença não é tão evidente" quando são analisados os dados mais recentes, segundo os quais alguns países europeus registram números superiores aos americanos.O OEDT analisa as tendências gerais do uso de entorpecentes nos Estados-membros da UE, além de Noruega, Romênia, Turquia e Bulgária. O diretor do OEDT, Wolfgang Gotz, afirmou que entre 3 milhões e 3,5 milhões de pessoas experimentaram cocaína durante o último ano nos países pesquisados, e que aproximadamente 1,5 milhão desse total são consumidores freqüentes."Na Espanha e no Reino Unido os aumentos mais relevantes ocorreram antes de 2001, embora os dados mais recentes revelem uma possível estabilização da tendência", aponta o documento, que traça um perfil do consumidor de cocaína como um homem jovem que vive em regiões urbanas.A porcentagem mais alta de pacientes que solicitaram tratamento nos últimos 12 meses devido ao consumo de cocaína aconteceu na Holanda (38%) e na Espanha (26%), países onde também foi registrado o maior número de apreensões da droga.O relatório menciona a "preocupação cada vez maior" pelos riscos ligados ao uso, e revela que a Espanha declarou que "a cocaína esteve presente em 54% das mortes relacionadas ao consumo de drogas" no ano de 2001. O documento também destacou que a Espanha foi um dos países onde mais se consumiu ecstasy e maconha no último ano.Outras drogasOs resultados das pesquisas "continuam demonstrando uma tendência crescente do uso de ecstasy e anfetaminas entre os jovens adultos na maioria dos países da UE".Os números mais altos de consumo recente de ecstasy entre jovens adultos correspondem ao Reino Unido (6,9%), República Tcheca (5,9%), Espanha (3,8%) e Estônia (3,7%). Segundo o Observatório, cerca de 2,6 milhões de pessoas, 0,8% da população adulta, consumiram ecstasy ou anfetaminas recentemente.Em relação à maconha, o estudo revela que esta segue sendo a droga mais consumida na UE e que há uma falsa percepção de sua periculosidade. Os níveis de consumo recente entre jovens adultos se situam em 22,1% na República Tcheca, 19,7% na França, 19,5% no Reino Unido e 17,3% na Espanha.O relatório aponta que aproximadamente 20 milhões de europeus usaram maconha no último ano e que cerca 9 milhões e meio são consumidores freqüentes. Entre os estudantes de 15 e 16 anos, o maior consumo de maconha foi registrado na República Tcheca (44%), e o mais elevado durante o último mês aconteceu na Espanha e França (22%).Gotz afirmou que "há provas de que o número de consumidores de heroína poderia ter diminuído" na UE, assim como o número de mortes associadas. "As taxas mais altas acontecem em Dinamarca, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Áustria, Portugal, Espanha e Reino Unido (de 6 a 10 casos para cada mil habitantes numa faixa entre 15 e 64 anos)", diz o relatório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.