Especialistas buscam proteção para áreas litorâneas

A Política Nacional de Gerenciamento Costeiro está completando 15 anos e as ações que visam reduzir os problemas da costa brasileira na busca do desenvolvimento sustentado serão discutidas por especialistas brasileiros e estrangeiros a partir desta terça-feira no Encontro Brasileiro de Gerenciamento Costeiro (Encogerco), em Salvador.O objetivo é entender a realidade dessa região, analisar as alternativas e buscar soluções para os problemas litorâneos.A pesquisadora Tânia Mascarenhas Tavares, da Universidade Federal da Bahia, advertiu que "o litoral brasileiro nunca sobre tanta pressão e está à beira do caos". Ela é uma das maiores especialistas em poluição e chama a atenção para o fato de a opinião pública não ter tomado ainda consciência desse processo destrutivo."Há uma falsa impressão de que os recursos costeiros são infinitos, mas certas espécies de peixes e crustáceos já estão esgotados ou perto disso".O litoral brasileiro tem 8.500 km de extensão e reúne, a uma distância de 200 km da costa, mais de 140 milhões de pessoas. Economicamente, é fundamental por reunir os mais importantes parques industriais do País o que, ao lado de outras atividades econômicas, representa 70% do PIB nacional.Essa riqueza provocou, por outro lado, o surgimento das maiores favelas e uma série de agressões ambientais que colocam a região em estado de alerta. "Tudo termina no mar, no litoral", comentou Tânia, acrescendo: "É onde a maioria dos rios deságua, levando todo tipo de dejetos poluentes".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.