Especialistas condenam fusão de embriões humanos

A principal sociedade de especialistas europeus em fertilidade humana denunciou nesta quarta-feira pesquisas destinadas a produzir uma quimera humana - crianças criadas a partir da mistura de células de embriões diferentes.Uma declaração da Sociedade Européia de Reprodução Humana e Embriologia foi emitida em resposta ao relatório de um cientista americano, de que havia fundido uma célula de um embrião de menino com um embrião de menina, e permitido que o híbrido se desenvolvesse por seis dias, antes de destruí-lo.O cientista, Norbert Gleicher, dos Centros para Reprodução Humana de Chicago e Nova York, disse ter demonstrado que a técnica pode ser usada em seres humanos. Ele disse que prevê usar o método para criar bebês para casais que têm certeza de que passarão problemas genéticos aos filhos. A teoria é de que, ao fundir células saudáveis num embrião doente, o problema poderia ser corrigido.Os cientistas europeus, no entanto, vêem questões éticas e riscos graves para o desenvolvimento da criança tratada dessa forma.

Agencia Estado,

02 de julho de 2003 | 20h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.