Especialistas vêem na genética a cura para o câncer

Especialistas em câncer reunidos no Rio para o 2º Congresso Franco-Brasileiro de Oncologia vêem na genética o caminho para a futura cura da doença e acreditam estar diante de uma revolução na forma de seu tratamento.É otimista a visão de dois dos especialistas, os franceses Jean Pierre Armand, presidente da Sociedade Francesa de Câncer, e Thomas Tursz, diretor do Instituto Gustave Roussy de Paris, maior instituição de pesquisa e tratamento da doença na Europa.?Estamos vivendo uma nova era na cancerologia. A descoberta de defeitos genéticos abre perspectivas para enormes avanços rumo à cura da doença. Alguns tipos de câncer, como o raro sarcoma gástrico, por exemplo, já têm remédios desenvolvidos a partir da descoberta desses genes. É uma revolução?, Tursz.O uso da genética, de plantas medicinais e de outras pesquisas para a cura da segunda enfermidade que mais mata no Brasil ? 122.600 mortes estimadas para 2002 ? é o tema central da conferência que trouxe 19 dos principais oncologistas da França ao Rio.Cerca de 500 pessoas participam do evento, que começou nesta quarta e vai até a próxima sexta. Na opinião da presidente da Sociedade Franco-Brasileira de Oncologia e organizadora do congresso, Carla Ismael, a considerável incidência no País de tipos de câncer, como os de colo de útero e de mama, deve-se à precariedade na prevenção.Para ela, é fundamental que o governo federal promova a realização de campanhas nacionais de prevenção para reduzir os atuais números.

Agencia Estado,

30 de outubro de 2002 | 22h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.