Espécie única de Titanossauro pode ter vivido em MG

Uma espécie de titanossauro ? dinossauro herbívoro de 15 metros de comprimento e cinco de altura ?, não encontrada em nenhuma outra parte do mundo, pode ter vivido na região de Uberaba, no Triângulo Mineiro, entre 65 milhões e 70 milhões de anos atrás.A constatação foi feita pela bióloga do Departamento de Geologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Cláudia Maria Magalhães Ribeiro, a partir da localização de fragmentos de ovos fossilizados, nos municípios de Peirópolis e Ponte Alta, próximos a Uberaba.Cláudia analisou a casca dos ovos num microscópio e descobriu que eles faziam parte da família Megaloolithidae, que dava origem aos titanossauros. Ela comparou o material brasileiro com o de outros ovos fósseis encontrados na Espanha, França Romênia, e Argentina. As características brasileiras eram únicas, jamais encontradas em nenhuma outra região.?São três gêneros descritos para Megaloolithidae, mas o ovo que eu estudei não se encaixa na descrição de nenhum deles. Provavelmente essa descoberta está ligada a uma nova espécie de titanossauro, mas não posso provar porque não havia restos embrionários no ovo?, explicou Cláudia, cujo trabalho foi financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).Foi a primeira vez no Brasil que um pesquisador conseguiu classificar o gênero e a espécie de um ovo fossilizado. Cláudia ainda não divulga o nome com que batizou o ovo. Ela aguarda a publicação da pesquisa numa revista científica internacional. A bióloga pesquisou um ovo encontrado em setembro de 1999 quase completo numa região que funcionava como pedreira na década de 50, em Peirópolis.Outro ovo fossilizado estava pela metade e foi recolhido em Ponte Alta. Ela analisou ainda mais 300 fragmentos. Todos foram coletados por equipes de escavação do Centro de Pesquisas Paleontológicas Llewellyn Ivor Price, de Peirópolis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.