Esqueletos e mamadeiras são descobertos na Sicília

Especialistas calculam que ainda podem aparecer milhares de túmulos

Efe

11 de novembro de 2008 | 20h28

Centenas de tumbas da época helênica, dos séculos 6 a 5 a.C., com esqueletos de soldados, de civis, de crianças com mamadeiras e enxovais estão sendo desenterradas na região de Himera, na ilha da Sicília, informou a imprensa local. As escavações são feitas pela Superintendência de Palermo em Himera, onde os especialistas calculam que podem aparecer milhares de túmulos. As descobertas ocorreram durante as obras em uma ferrovia próxima à planície de Himera, palco de duas sangrentas batalhas no século 5 Antes de Cristo quando a cidade de Siracusa, aliada dos gregos, foi destruída pelas tropas cartagineses de Aníbal. A descoberta mais significativa é a de uma vala comum com esqueletos de uma dúzia de pessoas com pegadas de golpes violentos e de setas, que são - segundo especialistas - sinais inequívocos de morte no campo de batalha. Também se encontraram urnas funerárias e muitos dos enterros, pelo menos a terça parte, são de crianças. Alguns dos corpos dos bebês estão com jarras de barro que faziam a função de mamadeiras há mais de 2.500 anos. Grande quantidade de materiais recuperados por enquanto foi transferida à vizinha Antiquarium, onde se recolhem os materiais da antiga cidade de Himera, à espera de serem catalogados e restaurados para serem expostos em museus. O descobrimento da necrópole, asseguram os especialistas, enriquecerá os conhecimentos sobre estilos de vida e hábitos alimentícios dos habitantes de Himera. A cidade, já mencionada por Tucídides e Cicerón, foi um importante posto militar estratégico dos gregos para conter as ambições expansionistas dos fenícios na Sicília ocidental.

Tudo o que sabemos sobre:
arqueologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.