Reprodução/NASA TV
Reprodução/NASA TV

Estação Espacial Internacional se prepara para receber novo laboratório

Nave Soyuz teve que fazer manobra para liberar módulo que receberá a nova estrutura científica

Efe

12 Maio 2010 | 11h49

MOSCOU - A nave Soyuz TMA-17 foi movida nesta quarta-feira, 12, de uma módulo a outro da Estação Espacial Internacional (ISS, da sigla em inglês), com a finalidade de deixar livre a porta do módulo Zarya para o acoplamento de uma nova estrutura científica.

 

Veja também:

linkNasa envia astronautas em missão de duas semanas ao fundo do mar

linkEuropa seleciona voluntários para voo simulado de 500 dias a Marte

 

A Soyuz, com três tripulantes a bordo, se desconectou do módulo Zarya às 13h26 (GMT) e 27 minutos mais tarde se acoplou ao módulo Zvezda sem nenhuma dificuldade, segundo informou o Centro de Controle de Voos Espaciais da Rússia (CCVE, da sigla em russo).

 

O cosmonauta russo Oleg Kotov foi o encarregado de realizar a manobra em sistema manual, assistido pelo astronauta japonês Soichi Noguchi e pelo norte-americano Timothy Creamer.

 

"Três horas depois do acoplamento, os tripulantes da Soyuz abriram as escotilhas de acesso entre a nave e o módulo Zarya uma vez verifico o hermetismo da união", afirmou um porta-voz do CCVE e da agência Interfax.

 

O novo módulo de investigações científicas russo Rassvet (MIM-1) chegará à Estação Espacial a bordo do ônibus espacial Atlantis, que será lançado na próxima sexta-feira, às 18h20 (GMT), do Centro Espacial Kennedy, na Flórida.

 

Em novembro do ano passado, o laboratório Poisk (MIM-20, que foi levado à ISS pelo ônibus espacial Progress, se somou a outros três módulos russos: o Zarya, integrado à Estação Espacial em 1998, o Zvezda (2000) e o Pirs (2001).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.