‘Estado’ coloca íntegra de seu acervo na internet

‘Estado’ coloca íntegra de seu acervo na internet

Páginas publicadas desde 1875, até mesmo as censuradas pelos militares, poderão ser vistas no portal que será lançado quarta-feira

Cley Scholz, de O Estado de S. Paulo,

19 Maio 2012 | 19h05

Para marcar o lançamento do acervo digital do ‘Estado’ na internet, o Grupo Estado promove na noite de quarta-feira, no auditório do Ibirapuera, uma cerimônia para convidados com a presença do governador Geraldo Alckmin, do prefeito Gilberto Kassab e de centenas de personalidades que fizeram parte da história do jornal e figuraram em suas páginas ao longo dos anos.

O cantor e ex-ministro da Cultura Gilberto Gil será um dos destaques da noite, que terá, entre outras atrações, uma viagem através da história com apresentação multimídia das páginas do acervo desde a edição de 4 de janeiro de 1875, quando o jornal circulou pela primeira vez ainda com o nome de A Província de São Paulo.

Na entrada do auditório, os convidados poderão navegar no portal do acervo digitalizado em totens com internet e tablets. Também receberão em primeira mão um caderno especial que vai circular encartado na edição do Estado de quinta-feira, dia 24, com reportagens e artigos que explicam como foi o processo de digitalização.

O caderno terá textos e fotos sobre a importância do acervo do jornal, que, ao longo de 137 anos, noticiou duas guerras mundiais, a mudança do Império para a República no Brasil e nove reformas monetárias.

Censura

A digitalização dará destaque à censura sofrida pelo Estado em vários períodos, especialmente após a edição do Ato Institucional n.º 5 (AI-5), em dezembro de 1968, quando o presidente Costa e Silva decretou o fechamento do Congresso.

O jornal recusou-se a mudar seu editorial "Instituições em Frangalhos" e teve sua edição apreendida. Mais de mil páginas foram mutiladas pelos censores no período do regime militar. Como o espaço das reportagens vetadas não podia ficar em branco, por ordem dos censores, os jornalistas publicavam versos de Os Lusíadas, de Luís Vaz de Camões, para desafiar a ditadura e expor a censura sofrida.

No portal digital será possível pesquisar as páginas censuradas e comparar como foram planejadas e como saíram publicadas.

Calculadora

No verdadeiro mar de informações formado por cerca de 50 bilhões de caracteres - suficientes para encher 2 mil DVDs -, o leitor poderá fazer pesquisas por data ou por palavras.

Um dicionário de grafia antiga embutido permite que o internauta localize matérias com a palavra farmácia, por exemplo, incluindo os textos do tempo em que se grafava ‘pharmacia’.

Uma calculadora no portal permitirá converter valores de produtos citados em textos ou anúncios antigos para saber quanto custariam atualmente em reais.

Esportes

A história do futebol está contada desde que os ingleses trouxeram o esporte para o País e contém, entre muitas outras informações, todos os 1.281 gols de Pelé.

No campo da economia e da tecnologia, a evolução do telefone pode ser pesquisada desde o dia em que o representante do inventor Graham Bell publicou um anúncio, em 1878, oferecendo "tympanos elétricos" e "telephonos". Como não podia deixar o telefone de contato, divulgava o endereço onde estava, na Rua São Bento, na casa do pintor Jules Martin, que fez o primeiro projeto do Viaduto do Chá.

O objetivo do Estado ao investir na digitalização do seu acervo integral é o de colocar à disposição da sociedade um patrimônio cultural que poucos jornais no mundo podem oferecer.

 

Mais conteúdo sobre:
acervo-estadao

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.