Estrelas 'idosas' produzem segunda geração de planetas

Astros com características de bilhões de anos têm discos de gás onde planetas podem surgir

09 de janeiro de 2008 | 18h59

Centenas de milhões, ou talvez até bilhões de anos depois de terem tido uma primeira oportunidade de gerar planetas, duas estrelas incomuns parecem estar criando uma segunda onda de asteróides e mundos, dizem astrônomos.    Astrônomos anunciam descoberta de planeta recém-nascido   "Trata-se de uma Noca classe de estrela, que apresenta condições para a formação de uma segunda geração de planetas muito depois de as próprias estrelas terem se formado", disse o astrônomo Carl Melis, da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) ao apresentar seus resultados na reunião da Associação de astronomia dos EUA, no Texas. As estrelas são BP Piscium e Tycho 4144 329 2. Normalmente, lembra o astrônomo Benjamin Zuckerman, também da UCLA, planetas e estrelas nascem juntos, a partir de um mesmo disco de matéria.   As duas estrelas estudadas têm muitas características de astros jovens, incluindo discos orbitais de poeira e gás, onde planetas e asteróides costumam se formar.   "Com essas características, esperaríamos que nossas estrelas fossem jovens", disse Melis. "Mas, ao acumular mais dados, as coisas simplesmente pararam de fazer sentido". Por exemplo, como estrelas passam a destruir átomos de lítio à medida que envelhecem, estrelas jovens deveriam conter grandes quantidades do elemento. Mas a assinatura de lítio na luz que vem de BP Piscium tem um sétimo da intensidade esperada para uma estrela jovem.

Tudo o que sabemos sobre:
planetasestrelas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.