Estudo aponta avanço da radioterapia contra câncer de mama

A taxa de sobrevivência ao câncer de mama aumenta se a paciente for submetida a um tratamento de radioterapia após a retirada do tumor, revelou um estudo divulgado hoje no Reino Unido.De acordo com um grupo de pesquisadores da Universidade de Oxford, o risco de desenvolver novamente o câncer nos cinco anos seguintes à retirada do tumor cai de 26% para 7% se for realizado um tratamento de radioterapia.O risco de morrer em conseqüência da doença nos 15 anos seguintes também diminui, de 36% para 31%, apontou o estudo, publicado na revista científica britânica The Lancet.Os pesquisadores estudaram os casos de 40 mil mulheres no mundo todo. A pesquisa revela que o tratamento de radioterapia é benéfico para as pacientes que têm que retirar o seio, caso o tumor tenha se estendido à axila. Nesses casos, o risco de o câncer se reproduzir cai de 23% para 6%.No entanto, caso o tumor não tenha se estendido à axila, os benefícios da radioterapia são leves e superados pelos efeitos secundários do tratamento.O câncer de mama é o que mais afeta a população feminina do Reino Unido, onde são registrados 41 mil novos casos por ano. Mais de 12 mil mulheres morrem em conseqüência da doença por ano, um dos números mais altos do mundo.

Agencia Estado,

17 de dezembro de 2005 | 11h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.