Mike Segar/Reuters
Mike Segar/Reuters

Estudo aponta que cão domesticado surgiu no Oriente Médio

Pesquisadores analisaram DNA de cachorros e lobos para desmistificar origem asiática

Reuters

18 Março 2010 | 15h47

Os ancestrais dos cachorros domésticos provavelmente surgiram no Oriente Médio, contrariando a hipótese de que eles eram originais do leste asiático. A conclusão teve como base um estudo genético divulgado na edição da revista Nature publicada nesta quinta-feira, 18.

 

A descoberta sustenta um registro arqueológico que conecta a domesticação dos cachorros no Oriente Médio com a ascensão da civilização humana na região, segundo os cientistas.

 

"A descoberta é significante porque prova que os cachorros fizeram parte da evolução civilizatória", disse Robert Wayne, professor de evolução biológica da Universidade da Califórnia e principal autor do estudo. A região, que hoje reúne Iraque, Síria, Líbano e Jordânia, também foi uma área onde os gatos e alguns animais pecuários se originaram, diz Wayne.

 

O estudo é baseado em comparações genéticas entre mais de 900 cachorros que representavam 85 raças (da América do Norte, Europa, Leste Asiático e Oriente Médio) e mais de 200 lobos cinzentos, o parente selvagem mais próximo dos cachorros ainda vivo.

 

Na mais extensa análise por período, os cientistas usaram técnicas de genética molecular para examinar mais de 49 mil traços de todo a sequência do DNA (genoma) de cada um dos animais incluídos no estudo.

 

Foi descoberto que a maioria dos cachorros dividem mais traços genéticos únicos com os lobos cinzentos do Oriente Médio do que com qualquer outra população de lobos. Um parentesco com os lobos europeus foi encontrado, mas ainda com menos extensão.

 

"Melhor amigo do homem"

 

Os cientistas também investigaram sobre o início da relação dos cachorros com o homem. "Nós sabemos que os cachorros originais do Oriente Médio tinham uma relação mais próxima com os homens porque eles foram encontrados enterrados em áreas de sepultamento humano", explica o pesquisador norte-americano.

 

Mas os mais antigos laços entre as pessoas e o chamado "melhor amigo do homem" foram possivelmente mais do que uma relação de amor e ódio e que persiste em diversas partes do mundo até hoje, e ajuda a explicar a ambivalência cultural sobre os cães em cada região de onde eles se originaram.

 

A arqueologia tem registros de cachorros que datam de 31 mil anos atrás, dos vestígios de um animal encontrado na Bélgica. O primeiro cachorro do Oriente Médio data de 12 a 13 mil anos atrás.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.