Estudo de células-tronco terá investimento de US$ 115 milhões

Instalações para pesquisas na área deve ser inaugurada em 2010 e terá 2.200 metros quadrados

AP

21 de abril de 2008 | 18h41

Uma nova instituição sem fins lucrativos planeja construir instalações de US$ 115 milhões (R$ 191 milhões) para pesquisas de células-tronco em San Diego, que será inaugurada em 2010. Embora o financiamento ainda esteja sendo levantado, o Consórcio para Medicina Regenerativa de San Diego propõe a construção de um prédio de 2.200 metros quadrados que abrigue laboratórios e espaços de apoio.  As instalações se localizariam em mais de 2,83 hectares de terra da Universidade da Califórnia em San Diego no centro de biotecnologia de Torrey Pines. A Universidade é uma dos quatro membros do Consórcio. Os outros são o Instituto Burnham, Instituto Salk e o Instituto de Pesquisa Scripps.  Espera-se que o governo contribua com uma larga porção do financiamento para as instalações. Os californianos aprovaram, em 2004, uma medida criando uma agência de US$ 3 bilhões (R$5 bilhões) para pesquisas de células-tronco. Representantes do Consórcio estimam que precisariam levantar US$ 72 milhões (R$ 120 milhões) adicionais para completar o financiamento do centro. Eles disseram que um doador não ligado ao Estado, cujo nome não revelaram, concordou em doar US$ 30 milhões (R$ 50 milhões). Células-tronco humanas embrionárias são criadas nos primeiros dias após a concepção e dão origem a todos os órgãos e tecidos especializados no corpo. Muitos conservadores se opõem às pesquisas com esse tipo de célula por que embriões humanos são destruídos no processo. Cientistas têm criado equivalentes de células embrionárias através de células normais da pele.

Tudo o que sabemos sobre:
células-troncoEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.