Estudo descobre possível rota para vacina contra a aids

Cientistas encontram dois anticorpos que atacam o HIV; estimulá-los pode levar a vacina eficaz

Reuters,

03 Setembro 2009 | 16h00

A descoberta de partículas do sistema imunológico humano que atacam o vírus da aids poderá, finalmente, abrir o caminho para a produção de uma vacina capaz de proteger as pessoas da infecção, que continua a ser incurável, dizem pesquisadores dos Estados Unidos.

 

OMS: Depressão será doença mais comum do mundo em 2030

Circuncisão não protege gays contra aids, diz estudo

 

Os cientistas usaram uma nova tecnologia para vasculhar o sangue de 1.800 pessoas infectadas com o HIV e identificaram dois anticorpos que são capazes de neutralizar a doença.

 

E descobriram uma nova parte do vírus, atacada por esses anticorpos, o que oferece uma nova estratégia para a criação da vacina, informam na revista Science.

 

"Então agora teremos uma chance melhor de criar uma vacina que estimulará esses anticorpos neutralizantes, que acreditamos serem a chave para o desenvolvimento de uma vacina de sucesso", disse o principal autor do estudo, Dennis Burton, do Instituto de Pesquisa Scripps.

 

"As descobertas em si são um avanço estimulante rumo á meta de uma vacina efetiva contra a aids, porque agora temos um alvo novo e potencialmente melhor no HIV para focar nossos esforços", acrescentou Wayne Koff, representante da Iniciativa Internacional da Vacina contra Aids, que patrocinou o estudo.

 

Desde que a pandemia de aids teve início, no começo dos anos 80, mais de 25 milhões de pessoas, em todo o mundo, já morreram vítimas do vírus. A Organização Mundial da Saúde estima que há 33 milhões de infectados na atualidade. Mão existe cura, embora um coquetel de drogas possa ajudar a manter o vírus sob controle.

Mais conteúdo sobre:
aidshivvacinascience

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.