Estudo indica que chimpanzés são capazes de apreciar música

Pesquisa com filhote no Japão revelou que animal prefere ouvir música harmoniosa a dissonante

Matt Walker, BBC

30 de julho de 2009 | 13h39

Uma pesquisa realizada por cientistas japoneses indica que os chimpanzés podem ter uma capacidade inata de apreciar música agradável - algo que se acreditava que fosse exclusivo dos humanos.

 

 

 linkCientistas descobrem o 'elo perdido' do vírus da aids

linkRiso surgiu em ancestral comum de homens e macacos

link Chimpanzé consegue planejar futuro, diz estudo

link Fogo e flexibilidade definem dieta humana, dizem cientistas

 

A equipe dos pesquisadores Tasuku Sugimoto e Kazuhide Hashiya, da Universidade Kyushu, em Hakozaki, no Japão, observou as reações da chimpanzé Sakura a diferentes sons quando ela tinha entre 17 e 23 semanas de idade.

A filhote nunca tinha sido exposta a qualquer forma de música.

Durante os testes, Sakura ficou deitada em uma cama e um fio de lã foi amarrado à sua mão direita.

Um sistema de som com alto-falantes foi colocado ao lado da cama, tocando melodias que duravam entre 38 segundos e 63 segundos. Toda vez que Sakura puxava o fio, o trecho de música era repetido.

Foram feitos seis testes, um por semana, em seis semanas consecutivas, cada um durando cerca de 20 minutos.

Entre os trechos de música tocados estavam composições alemãs dos séculos 17 e 18.

As peças foram também alteradas com programas de computador para que ficassem dissonantes.

Em três dos seis testes, os pesquisadores tocaram primeiro os trechos consonantes. Nos outros três, eles iniciaram o experimento com música dissonante.

Nos seis testes, Sakura puxou o cordão muito mais vezes após ouvir música consonante do que quando ouviu música dissonante.

Surpresa

O experimento foi descrito em um artigo na publicação científica Primates.

"Ficamos muito surpresos com a coerência dos resultados", disse Hashiya.

"Ela rapidamente aprendeu a regra do mecanismo e consistentemente tocou música consonante, ao invés da dissonante, durante muito mais tempo."

A descoberta pode ter implicações importantes sobre como a capacidade de apreciar música evoluiu.

Os especialistas japoneses também acreditam que a preferência inata de chipanzés por melodias agradáveis possa ter alguma função biológica. Resta saber qual.     BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.