Estudo liga consumo de drogas a mutações genéticas

Pesquisadores italianos do setor de Mutações Genéticas do Instituto de biologia e biotecnologia agrária, seção de Pisa, descobriram que a cocaína e o ecstasy, as drogas mais difundidas, agem diretamente no DNA, transformando-o e provocando mutações. "A cocaína e o ecstasy se revelaram mais perigosas do que sabíamos", destacou Giorgio Bronzetti, responsável pela pesquisa. "Estas drogas, de fato, além de todos os aspectos tóxicos, agridem o DNA provocando mutações, alterando o material hereditário. Isso traz muitas preocupações sobre os efeitos nas gerações futuras". Com base nos resultados obtidos em animais, os pesquisadores da área de San Cataldo de Pisa demonstraram também a estreita ligação entre dose e efeito: o uso prolongado aumenta os danos no DNA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.