<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Estudo mostra impacto duradouro da cocaína no cérebro

A cocaína tem efeito duradouro sobre áreas responsáveis pelo raciocínio, tomadas de decisões, emoções e personalidade, nas regiões regiões frontais do cérebro, segundo estudo recém-concluído por pesquisadores do Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).Os pesquisadores avaliaram 62 pessoas, 30 delas dependentes de cocaína internadas e 32 sem histórico de alterações psiquiátricas ou de problemas no desenvolvimento neuropsicomotor. O estudo foi publicado na Revista Brasileira de Psiquiatria.O psiquiatra Sergio Nicastri, um dos autores, disse à Agência Fapesp que entre os problemas detectados na área frontal do cérebro está retenção na velocidade de assimilação das informações.Isso pode ajudar a explicar porque usuários de drogas continuam consumindo substâncias tóxicas mesmo depois de vivenciarem as conseqüências negativas de suas atitudes, como brigas, e transtornos de comportamento.

Agencia Estado,

17 de agosto de 2004 | 11h51

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 9,90/mês a partir do segundo mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
1, 90
/ mês
No primeiro mês
R$ 19,90/mês a partir do segundo mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital
R$
22, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.