Estudo mostra que 24% dos mamíferos correm risco de extinção

Vinte e quatro por cento dos mamíferos que existem na Terra correm o risco de extinção nos próximos 30 anos, segundo informações do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), divulgadas hoje na imprensa em Londres. O estudo, denominado Global Environment Outlook-3 (GEO-3), será apresentado oficialmente amanhã na capital britânica.O dado mais chamativo é que das 11.046 espécies de plantas e animais ameaçadas, 1.130 são mamíferos, que correspondem a 24% do total, e 1.183 são aves (12% do total). Os mamíferos em perigo incluem o rinoceronte negro e o tigre siberiano, mas também animais menos conhecidos, como o leopardo de Amur (Ásia) e a águia das Filipinas.A principal causa desse problema são as intervenções humanas na natureza, causando a destruição dos habitats naturais. O estudo traz um panorama dos últimos 30 anos de degradação ambiental e uma projeção para as próximas décadas. (Ansa)

Agencia Estado,

21 de maio de 2002 | 16h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.