Estudo mostra que mulheres são mais complexas do que se acreditava

Mulheres utilizam mais de centena dos genes do cromossomo X do que os homens, e isso pode ajudar a explicar algumas das diferenças biológicas entre os sexos, revela um estudo do pesquisador Huntington Willard, da Universidade de Duke, e de Laura Carrel, da Universidade Estadual da Pennsylvania. O resultado do estudo revela que mulheres sintetizam doses maiores de algumas proteínas do que os homens.Willard e Carrel publicaram uma análise do estudo do cromossomo X na edição desta quinta-feira da revista Nature.Seres humanos têm 24 tipos diferentes de cromossomos, numerados do 1 ao 22 mais os cromossomos X e Y. Mulheres carregam duas cópias do cromossomo X enquanto homens têm um X e um Y.Desde antes do nascimento, as mulheres "desligam" uma cópia do cromossomo X em cada célula e permanecem, assim como os homens, com apenas um cromossomo X funcionando. Mas cientistas já sabiam que esse "desligamento" não era perfeito. A novidade é que alguns genes no cromossomo desativado continuam funcionando, enviando ordens de natureza química para as células para sintetizar determinadas proteínas.O trabalho de Willard e Carrel diz que o cromossomo desativado contém entre 200 a 300 desses genes, em duas categorias. Primeiro, eles descobriram que 15% dos genes do cromossomo desativado continuam a funcionar em algum grau. Mais surpreendente, disse Willard, é o que os cientistas descobriram sobre outros 10% dos genes. Para cada um, o nível de atividade varia enormemente de mulher para mulher, desde o nível zero, em algumas mulheres, variando de níveis em outras.Estes contrastes entre os níveis de atividade são vistos freqüentemente nos cromossomos X dos homens ou em outros cromossomos em ambos os sexos, disse Willard. Mas, quando o estudo comparou o cromossomo X inativo de 40 mulheres, cada um mostrou um nível de atividade diferente.Dr. Jeannie T. Lee, que estuda a inatividade do cromossomo X na Escola de Medicina de Harvard, disse que o estudo dá uma estimativa melhor de como alguns genes escapam da inatividade. E ela concordou que a variedade no nível de atividade entre as mulheres descoberta nessa pesquisa é uma surpresa.O trabalho levantou a possibilidade de que as diferenças entre a atividade desses genes pode revelar o porquê de algumas diferenças entre homens e mulheres mais também pode mostrar razões para diferenças entre as próprias mulheres.Entenda os cromossomos humanos

Agencia Estado,

16 de março de 2005 | 19h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.