Estudo tentará apontar efeitos de celulares na saúde

Os efeitos das ondas transmitidas pelas antenas de celulares na saúde são objeto de um estudo iniciado nesta segunda-feira por cientistas da Universidade de Essex, Inglaterra.Os pesquisadores vão analisar como as emissões de ondas eletromagnéticas podem afetar algumas das capacidades intelectuais humanas, como a memória ou a concentração, e averiguar se podem causar doenças.Vão também estudar os efeitos destes aparelhos em pessoas "sensíveis" às ondas eletromagnéticas.No experimento, pelo menos 250 voluntários serão expostos a dois tipos de sinais eletromagnéticos: os procedentes de estações de telefonia celular tradicional e os de terceira geração. Também serão usados falsos transmissores."Muita gente está preocupada com os efeitos potenciais das antenas na saúde. Será interessante saber se a exposição às ondas afeta da mesma forma as pessoas", afirmou Stacy Eltiti, uma dos responsáveis pelo estudo.Embora a comunidade científica seja avessa a aceitar que haja pessoas com "eletro-sensibilidade", alguns pesquisadores afirmam que a exposição a aparelhos como microondas ou antenas de celulares pode causar desde dores de cabeça e tonturas até doenças degenerativas."Os cientistas garantem não haver provas conclusivas de que os celulares tenham efeitos nocivos à saúde, mas não diziam o mesmo sobre o tabaco?", questiona Lisa Oldham, responsável do grupo Mast Sanity, organizador de campanhas contra o uso de celulares.O estudo da Universidade de Essex conta com um orçamento de 490 mil euros, financiados parcialmente pelo governo britânico.

Agencia Estado,

13 de dezembro de 2004 | 12h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.