Estudos aprovam o hábito de beber e praticar exercícios

Pesquisadores divulgaram pesquisas com resultados positivos sobre os benefícios das práticas combinadas

Michael Kahn, Reuters

09 de janeiro de 2008 | 21h50

Pesquisadores dinamarqueses divulgaram nesta quarta-feira, 9, estudos constatando que pessoas que não bebem nem fazem exercícios físicos possuem um risco entre 30 a 49% maior de apresentar doenças cardíacas que uma pessoa que pratica ambas atividades ou uma delas.   "A principal descoberta é que parece haver um efeito benéfico adicional ao beber um ou dois drinques por dia e fazer pelo menos uma atividade física moderada", afirma Morten Gronbaek, da Universidade da Dinarmaca, que liderou as pesquisas.   Outros estudos já haviam demonstrado que o benefício de beber moderadamente - até dois drinques por dia tomados regularmente -, além de estar associado a um menor risco de doenças cardíacas, também possibilita menos chances de desenvolver alguns tipos de câncer. Porém, a novidade é que os pesquisadores dinamarqueses descobriram que combinando esse hábito a prática de exercícios, os benefícios para a saúde aumentam.   Os cientistas da Dinamarca realizaram os estudos com aproximadamente 12 mil homens e mulheres com idade de 20 anos, entre 1981 and 1983. Depois de duas décadas, apenas aproximadamente 1.200 dos participantes da pesquisa morreram de doenças cardíacas e quase 5.900 morreram por outras causas.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.