Estudos mostram eficácia da memantina contra Alzheimer

A memantina pode reduzir a deterioração intelectual e a perda de funções em pacientes que sofrem da doença Alzheimer, segundo indica uma série de estudos divulgados pela revista The Cochrane Library. Os efeitos são pequenos mas "clinicamente evidentes" nos pacientes que tomam 20 miligramas de memantina durante 28 semanas.A publicação, da organização Cochrane Collaboration, que avalia as pesquisas médicas, disse que essas conclusões se basearam na análise de nove estudos, dos quais participaram 2.339 pacientes com Alzheimer.Segundo Rupert McShane, da Universidade de Oxford (Reino Unido), os efeitos do remédio foram medidos através dos exames da capacidade intelectual, da atividade diária e do ânimo dos pacientes.De acordo com a revista, os estudos revelaram que o remédio também incide positivamente na demência moderada de alguns pacientes de Alzheimer. Mas estas mudanças não são clinicamente consideráveis e ainda não se sabe se os efeitos são tão positivos nos casos de demência avançada, disse McShane no relatório.A agência reguladora de alimentos e medicamentos nos Estados Unidos, a FDA, aprovou o uso de memantina em casos moderados e graves de Alzheimer em 2003, um ano depois da ratificação pela agência européia de remédios.

Agencia Estado,

20 de abril de 2005 | 09h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.