EUA continuam contra Protocolo de Kyoto, diz porta-voz

O governo dos Estados Unidos reiterou nesta quinta-feira que não ratificará o Protocolo de Kyoto, o tratado que estabelece metas e exigências para a redução da emissão de gases poluentes causadores do aquecimento global. "A posição dos Estados Unidos sobre o Protocolo de Kyoto não mudou", declarou nesta tarde o porta-voz do Departamento de Estado, Richard Boucher.Pela manhã, o governo da Rússia anunciou a decisão de ratificar a adesão do país ao tratado, enviando um projeto neste sentido para aprovação pelo parlamento. O anúncio constitui um marco, pois é o primeiro sinal claro dos russos em favor do tratado, que precisa de sua adesão - ou da dos EUA - para entrar em vigor. Boucher lembrou que não se sabe ainda se os parlamentares permitirão a ratificação.O presidente George W.Bush decidiu em 2001 não ratificar a adesão dos americanos, alegando que o Protocolo de Kyoto é prejudicial à economia dos EUA. Além disso, Bush passou a articular um boicote ao tratado para evitar que ele entre em vigor. A Rússia foi alvo de pressões americanas para não aderir efetivamente.Europeus comemoramA Comissão Européia, por outro lado, comemorou a decisão do governo russo. O porta-voz Reijo Kemppinen afirmou que se, finalmente, o Protocolo de Kyoto entrar em vigor, "erá um grande êxito para o meio ambiente mundial".De qualquer forma, lembrou Kemppinen, é preciso manter "o champanhe na geladeira" até que o parlamento russo decida aprovar a ratificação.O presidente russo, Vladimir Putin, teve conversas na semana passada com o presidente da CE, Romano Prodi, dando-lhe a "promessa pessoal" de que a Rússia adotaria o Protocolo de Kyoto. Por esta razão, Prodi disse nesta quinta-feira que não se sentia surpreso com a decisão do governo russo, segundo Kemppinen.

Agencia Estado,

30 de setembro de 2004 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.