EUA dizem que fazem muito contra aquecimento global

"Não somos os garotos maus deste filme". Com essas palavras, o enviado especial do Departamento de Estado dos EUA, Harlan Watson, rebateu com ironia as críticas disparadas pelos países em desenvolvimento durante a 10.ª Conferência das Partes da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-10), realizada em Buenos Aires.Os críticos dos EUA acusam o governo do presidente George W. Bush de ter uma posição beligerante contra o Protocolo de Kyoto e de não realizar esforços para conter as emissões de gases que causam o efeito estufa, e assim, tentar minimizar o impacto do aquecimento global."Nós, nos EUA, estamos focados nas ações ambientais muito mais do que outros países que seguem o Protocolo de Kyoto?, disparou Watson durante coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira.Segundo ele, o governo Bush considera que ?não é o momento apropriado? para aderir ao Protocolo ?por diversas razões técnicas e econômicas?.Os EUA são responsáveis por 36,1% das emissões de gases do planeta e chegaram a aderir ao tratado no governo Clinton. Mas, desde o início de seu governo, Bush se recusa a ratificar a adesão.Enquanto na COP-10 dezenas de países já discutem o que fazer em uma segunda etapa das metas do protocolo, após o ano 2012, o governo Bush recusa-se categoricamente a debater o assunto.?Ainda temos muitas lições a aprender da implementação de Kyoto?, explicou Watson. Para ele é preciso primeiro avaliar os resultados das metas do protocolo para só depois pensar no pós-2012.   leia mais

Agencia Estado,

07 de dezembro de 2004 | 23h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.