Erik S. Lesser/ EFE
Erik S. Lesser/ EFE

EUA se preparam para o espetáculo do eclipse solar desta segunda-feira

Cidade onde o Sol ficará encoberto por mais tempo deverá receber entre 50 mil e 90 mil visitantes

O Estado de S.Paulo

20 Agosto 2017 | 17h52

Os Estados Unidos se preparam para assistir nesta segunda-feira, 21, a um dos espetáculos astronômicos mais impressionantes e únicos: um eclipse total do Sol que poderá ser admirado de costa a costa no país, e parcialmente em outras partes do continente americano, como nas regiões Norte e Nordeste do Brasil.

O eclipse poderá ser visto por uma faixa de mais de 110 km de largura que atravessa os Estados Unidos do Pacífico ao Atlântico, partindo do Oregon à Carolina do Sul, formada enquanto a Lua cobre completamente o disco visível do Sol. 

Dependendo da localização, os espectadores poderão experimentar o eclipse por um período máximo de dois minutos e 40 segundos. O fenômeno acontecerá por uma hora e meia no céu americano, desde a costa do Pacífico, onde começará às 10h15 (no horário local, 14h15, em Brasília), à do Atlântico, às 14h45 (horário local, 15h45 de Brasília). 

Ao todo, levará três horas entre o momento em que a Lua começar a ocultar o Sol, até quando a estrela estiver completamente limpa. Fora da faixa de sombra de mais de 100 km de largura, os espectadores não verão o eclipse total, mas uma alta porcentagem de penumbra. 

Nos últimos dias, a procura por óculos especiais para a visualização do eclipse aumentou. Isso porque as autoridades têm insistido no alerta de que observar o fenômeno de frente e com lentes inadequadas pode causar danos irreversíveis à vista. 

Até agora, as redes sociais foram inundadas por vídeos e tutoriais que ensinam métodos caseiros para observar o eclipse. Mesmo que o evento seja em um dia útil, muitas outras pessoas estão planejando reuniões para verem o eclipse. 

Privilegiados e preparados. O lugar onde se calcula que o eclipse total do Sol possa ser admirado por mais tempo é a cidade de Carbondale, em Illionois, a 532 km de Chicago e a 273 km de Springfield, capital do Estado. 

Os moradores da cidade estão se preparando há anos para o evento. "Tem sido uma grande emoção ver os frutos do nosso esforço e todo o trabalho duro que tanta gente tem dedicado a isso", disse à emissora americana ABC Gary Williams, gerente administrativo da cidade. De acordo com ele, 50 mil e 90 mil pessoas irão à cidade observar o eclipse. 

O município, de 26 mil habitantes, organizou um festival de música, onde centenas de tendas estão cadastradas para servirem comidas, bebidas aos espectadores.

Oportunidade única. Segundo a cientista da Nasa Madhulika Guhathakurta, "este é um evento geracional. Será o eclipse mais documentado e admirado da história". 

A Lua se alinhará exatamente com a superfície do Sol, o que permitirá observações de toda a coroa, incluindo as regiões mais baixas, que raramente são detectáveis. Sendo assim, os especialistas poderão obter muito mais informações no solo do que de instrumentos espaciais. 

No progresso do conhecimento do Sol, um grupo de investigadores utilizará um conjunto de tecnologias e metodologias complexas para obter perspectivas sem precedentes. Eles, no entanto, também se basearão em materiais de observadores fanáticos e estudantes através de um aplicativo. 

Vários aviões também seguirão o rastro da Lua para aumentar o período de observação. 

Para os estudiosos, o evento celestial é uma rara oportunidade para experimentar novos instrmentos e observar área mais externa da atmosfera solar, a coroa, que normalmente fica escurecida pela superfície brilhante da própria estrela. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.