EUA vão proibir entrada de mogno, diz Casara

Os Estados Unidos não permitirão o desembarque de mogno exportado ilegalmente do Brasil, informou ontem o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Hamilton Casara. Por intermédio de sua assessoria, Casara assegurou ter recebido do subsecretário de Estado do governo americano, John Turner, e de representantes de organizações não-governamentais ambientalistas com sede nos Estados Unidos, a garantia de ajuda no combate à exploração ilegal de mogno.Casara, que está em Washigton, assinou em outubro passado portaria proibindo a exploração de mogno por ser uma espécie ameaçada de extinção. Segundo o Ibama, apesar da medida, madeireiras estariam conseguindo exportar essa madeira para os Estados Unidos, Japão, Venezuela e Caribe graças a liminares obtidas na Justiça brasileira. Nas reuniões com organizações não-governamentais, entre elas o Greenpeace, Casara ganhou apoio para pressionar o governo norte-americano a aumentar a fiscalização nos portos para impedir a importação de mogno.

Agencia Estado,

01 de fevereiro de 2002 | 11h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.