Europa deve proibir lâmpadas incandescentes a partir de 2010

Os ministros de Energia, reunidos em Luxemburgo, aprovaram medidas para complementar a legislação existente

EFE,

10 de outubro de 2008 | 16h21

Os países da União Européia (UE) concordaram em proibir o uso de lâmpadas incandescentes a partir de 2010, num esforço para disseminar o uso de eletrodomésticos ecológicos.   Os ministros de Energia, reunidos em Luxemburgo, aprovaram medidas com que pretendem complementar a legislação européia já existente sobre o assunto, e que já atingia produtos como ma´quinas de lavar e fornos elétricos.   O texto aprovado determina que "todos os produtos de iluminação doméstica de baixo rendimento estão com venda proibida a partir de 2010, desde que existam meios de substituição".   Eles pediram que o órgão executivo da UE, a Comissão Européia, apresente ainda este ano um plano que permita pôr em marcha a substituição gradativa de todas as lâmpadas incandescentes e de baixo rendimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.