Europa espera ativar sistema concorrente do GPS em 2014

A UE alega que o Galileu será tecnologicamente superior ao GPS, oferecendo dados de navegação mais precisos

Associated Press,

07 Janeiro 2010 | 15h35

 O órgão executivo da União Europeia concedeu à empresa alemã OHB System AG um contrato de € 566 milhões (US$ 810 milhões) para a construção dos primeiros 14 satélites do sistema de navegação europeu Galileu. O sistema, que será um rival do GPS americano, já foi adiado diversas vezes, mas deve começar a operar em 2014.

 

A UE alega que o Galileu será tecnologicamente superior ao GPS, oferecendo dados de navegação mais precisos que o sistema operado pelos Estados Unidos.

 

O comissário europeu de transportes, Antonio Tajani, disse ainda que a empresa italiana ThalesAleniaSpace receberá um contrato de € 85 milhões para oferecer apoio de sistemas ao projeto, e que a francesa Arianespace terá € 397 milhões para lançar os satélites ao espaço.

 

Os primeiros satélites serão lançados em foguetes russos Soyuz, a partir da Guiana Francesa, em outubro de 2012.

 

A UE alega que o galileu poderá mais que dobrar a cobertura do GPS e melhorar a cobertura em altas latitudes e em grandes cidades, onde edifícios altos podem bloquear os sinais.

 

Tajani disse ainda que o sistema "ajudará a garantir a independência política da Europa em uma área que se tornou muito importante do ponto de vista econômico, social e de segurança".

Mais conteúdo sobre:
gps galileu satélite ariane soyuz

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.