Europa fecha fronteiras e proíbe importação de aves

A União Européia (UE) anunciou há pouco a proibição total, até o próximo dia 30 de novembro, da importação de com fins comerciais de aves silvestres cativas vivas procedentes de qualquer parte do mundo, e aumentou o rigor nos controles sobre os animais introduzidos por particulares em território do bloco europeu.Foram proibidas também as importações de carne de frango, plumas, caça e aves vivas procedentes da Romênia, Turquia, Rússia e Croácia, países onde foram detectados casos de gripe aviária.Os 25 países-membros aprovaram a proposta em reunião do Comitê Permanente da Cadeia Alimentar, que se reuniu nesta terça-feira em Bruxelas.A proibição "será aplicada às importações em grande escala, e com fins comerciais" de pássaros exóticos e de estimação, como, por exemplo, papagaios, canários, pombas e aves de rapina, segundo o porta-voz de Saúde da Comissão Européia (CE) - órgão executivo da UE -, Philip Tod. Nos últimos três meses, a UE importou 230.000 aves deste tipo.As medidas prevêem algumas exceções para pássaros que são transferidos entre zoológicos ou instituições similares. Também é permitida a importação, por estabelecimentos autorizados, de ovos em incubação que tenham sido descontaminados na chegada ou com destino aos zoológicos.A proibição foi tomada em função da existência de pelo menos seis focos de gripe aviária na Rússia - dois deles na parte européia do país - e dois na Croácia. Também pesou a confirmação de um caso isolado na Grã-Bretanha, onde um papagaio sul-americano morreu com o vírus H5N1, provavelmente contraído no local onde era mantido sob quarentena.A proibição atende a pedidos de autoridades dos vários países, criadores de aves e grupos conservacionistas. O presidente do Sindicato Nacional de Granjeiros (NFU) do Reino Unido, Tim Bennett, afirmou que é necessária uma maior restrição no trânsito das aves.Pesquisadores europeus também aprovaram a idéia de fechar as fronteiras para terem tempo de avaliar melhor a evolução da doença entre as aves e as possíveis mutações do vírus H5N1.Os 25 países-membros também concordaram em limitar a 5 o número de aves de estimação procedentes de outros países autorizados que podem ser introduzidos na UE por um particular, após os animais serem submetidos a um isolamento de 30 dias em seu local de origem - ou a quarentena no país de destino.Como alternativa à quarentena, as aves de estimação poderão ser admitidas em território da UE se tiverem sido vacinadas contra a gripe aviária ou tiverem dado negativo em uma análise após período de isolamento de dez dias antes da viagem.As restrições sobre aves que acompanham seus proprietários não serão aplicadas à Noruega, Suíça, Liechtenstein, Andorra, Islândia, Groenlândia, ilhas Faroe e San Marino, segundo uma nota da CE.   leia mais sobre gripe aviáriaNota do Editor: Este texto foi alterado às 17h20, com o acréscimo de informações

Agencia Estado,

25 de outubro de 2005 | 15h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.