Europa lança vacina para variante da gripe aviária

Especialistas em gripe do Reino Unido, da Itália e da Noruega, junto com pesquisadores do Instituto francês Pasteur, desenvolveram a "primeira vacina que pode servir para humanos" contra o vírus H7N1, da gripe aviária, informou a Comissão Européia (CE), órgão executivo da União Européia. O desenvolvimento da nova vacina, chamada RD-3, foi feito através do projeto Flupan com o apoio de um programa de pesquisa da UE.A pesquisa está em fase avançada, e os testes clínicos devem começar a ser realizados no primeiro semestre de 2006.Todas as pesquisas têm se concentrado no vírus H5N1, altamente patogênico e que provocou 62 mortes na Ásia, mas relatório do projeto Flupan publicado na semana passada alerta que o H7N1 também pode transmitir a gripe aviária de animais a humanos, segundo fontes da CE. A RD-3 poderia combater esta variante do vírus.O porta-voz de Saúde da UE, Philip Tod, ressaltou em entrevista coletiva a importância de uma vacina contra a variante H7, menos conhecida, mas altamente patógena e que também pode ser transmitida de aves a humanos.Tod disse que a nova vacina foi desenvolvida pela primeira vez através de "técnicas de reversão genética", sem a utilização de embriões para sua produção, o que pode ser muito eficaz na luta futura contra a gripe aviária. Um relatório do projeto Flupan publicado no Diário Oficial de Doenças Infecciosas, na semana passada, demonstra a "capacidade européia" para produzir uma vacina "segura e eficaz" contra vírus altamente perigosos da gripe aviária.A pesquisa começou em setembro de 2001 através da seleção do H7N1 como um potencial vírus que poderia causar uma pandemia, pois havia informações de surtos na Itália, em 1999, letais para as aves de granja, e de casos de infecção relacionados com o vírus H7N7 na Holanda, segundo um comunicado da CE.Agora está sendo analisada a possibilidade de se começar a fabricar as vacinas no instituto Sanofi Pasteur da França.Especialistas reunidos na semana passada em Bruxelas disseram que é necessário aumentar as pesquisas na área da gripe aviária e sobre pandemias e constataram que ainda não há uma "mobilização rápida de recursos extraordinários" para evitar que a doença se espalhe e suas devastadoras conseqüências.Também são necessários "mais esforços" para garantir a proteção de humanos, através da disponibilidade de vacinas contra uma pandemia de gripe, segundo o comunicado.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

27 de outubro de 2005 | 11h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.