<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Europa propõe imposto ambiental para navios e aviões

A Comissão Européia aprovou nesta quarta-feira a recomendação para que se crie a partir de 2012 um imposto para os setores de aviação e transporte marítimo, como compensação pelas emissões de gases causadores do aquecimento global.A proposta tem como foco principalmente os Estados Unidos e a China, os dois maiores produtores de dióxido de carbono (CO2), que estão fora das restrições e metas estabelecidas pelo Protocolo de Kyoto. Os EUA não subscreveram o tratado, que começa a vigorar no próximo dia 16, e a China não está obrigada a adotar medidas, por ser país em desenvolvimento - assim como a Índia, outro grande emissor.Segundo o comissário de Meio ambiente da UE, Stavros Dimas, já está sendo estudada a participação do setor da aviação no sistema de comércio de créditos de carbono. As emissões do setor naval, disse ele, ainda estão sendo analisadas mas devem chegar a 3% do CO2 global.A idéia do imposto é uma entre várias propostas anunciadas pela administração conjunta da União Européia, com vistas ao período posterior à vigência do Protocolo de Kyoto. Nada foi detalhado e nenhuma nova meta pós-2012 foi estabelecida. Segundo Dimas, "não é o momento" de estabelecer novos objetivos.Apesar disso, já se sabe que as metas de Kyoto correm sério risco de não serem cumpridas, e em dezembro os ministros do Meio ambiente da UE propuseram que se trabalhasse para conseguir que as emissões de gases sejam reduzidas entre 15% e 50% para 2050.O comunicado desta quarta-feira adverte sobre a necessidade de evitar que a temperatura do planeta aumente mais de dois graus centígrados em relação aos níveis de 1990. Em entrevista coletiva, Dimas afirmou que as medidas para evitar que a temperatura suba acima de 2,5 graus exigem investimentos de 0,5% do PIB europeu, um "custo sensivelmente menor do que o da inércia".O comissário afirmou que, se as concentrações de CO2 se estabilizarem abaixo dos 550 ppmv (partes por milhão em volume), há um sexto de possibilidade de conseguir que a temperatura não aumente acima dos dois graus. mudanças climáticas

Agencia Estado,

09 de fevereiro de 2005 | 15h56

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 9,90/mês a partir do segundo mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
1, 90
/ mês
No primeiro mês
R$ 19,90/mês a partir do segundo mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital
R$
22, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.