Eventos comemoram a recuperação da baleia franca

A cidade de Imbituba, a 70 quilômetros ao sul de Florianópolis, Santa Catarina, prepara-se para celebrar mais uma vez o ressurgimento da baleia-franca em suas águas, com a realização da 6a Semana Nacional da Baleia Franca, entre 14 e 21 de setembro. A cidade foi estabelecida por colonizadores açorianos para abrigar estações baleeiras - as armações -, que começaram a caçar esses animais principalmente a partir do século 17. O óleo da baleia era usado para iluminar cidades e como matéria-prima na produção de argamassa para construções.Por conta dessa atividade, a espécie quase chegou à extinção, mas com a proibição da caça sua população voltou a crescer e hoje é atração turística na região. Este ano, o Projeto Baleia Franca, que há 20 anos luta pela preservação da espécie, catalogou cerca de 60 baleias franca em Santa Catarina, o maior número encontrado em uma só temporada. Em 1973, o Brasil registrou a última baleia franca morta, exatamente em Imbituba, embora a caça comercial tenha prosseguido na Paraíba, pelos japoneses, até 1985.Um pouco desta história, assim como as ações que estão sendo realizadas para a proteção da espécie e o turismo de observação podem ser conferidos também na exposição Baleias Franca em Santa Catarina, que acontece até o dia 29 de setembro, em São Paulo, no Espaço Cultural Conjunto Nacional (av. Paulista, 2073). A mostra é uma promoção da Free Way Adventures com o Instituto Baleia Franca.

Agencia Estado,

11 de setembro de 2002 | 11h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.