Excreção de peixe ajuda a balancear acidez dos oceanos

Segundo pesquisadores, eles podem ser responsáveis por 3 a 15% do total de carbonato nas águas

AP,

15 de janeiro de 2009 | 21h27

O delicado balanço ácido do oceano pode estar sendo ajudado por uma fonte inesperada, excreção de peixe.  O aumento em dióxido de carbono na atmosfera não apenas leva ao aquecimento global, mas também aumenta a quantidade de CO2 dissolvido na água do oceano, tendendo a torná-lo mais ácido, potencialmente uma ameaça para a vida no oceano.  Químicos alcalinos como o carbonato de cálcio pode ajudar a balancear esse ácido. Cientistas pensavam que a fonte principal para esse processo eram as conchas do plâncton, mas eles ficaram surpresos com quantidades maiores que o esperado de carbonato no topo do nível das águas.  Agora pesquisadores liderados por Rod W. Wilson da Universidade de Exeter na Inglaterra relataram na revista Science que peixes marinhos contribuem entre 3 e 15% para o total de carbonato.  E a contribuição pode ser ainda maior, disseram os pesquisadores.  Eles relatam que peixes ósseos, um grupo que inclui 90% das espécies marinhas, produzem carbonato para eliminar o excesso de cálcio que ingerem na água do mar. Isso se transforma em cristais de carbonato de cálcio que os peixes eliminam.  O processo ocorre separadamente da digestão e da produção de fezes, disseram os pesquisadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.