Exército e Embrapa terão centro de estudos por satélite

O Exército e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) formalizaram uma parceria para a construção do Centro Nacional de Pesquisa de Monitoramento por Satélite, que funcionará na Fazenda Chapadão, área militar de Campinas. A previsão é de que o projeto seja concluído em um ano, embora apenas R$ 900 mil dos estimados R$ 5 milhões necessários estejam disponíveis.O presidente da Embrapa, Clayton Campanhola, lembrou que o núcleo de monitoramento por satélite que opera hoje em Campinas ocupa um prédio pequeno e alugado. "Há um problema de espaço. A infra-estrutura é fundamental."Ele disse que será preciso ampliar em pelo menos 10% o efetivo de 65 funcionários do núcleo. Para o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, o monitoramento permitirá a antecipação da safra e maior arbítrio dos produtores sobre o mercado."É a realização de um velho sonho dos agricultores brasileiros de identificar a ocupação do terreno por culturas diferentes e principalmente fazer levantamento de safras."FronteiraO comandante do Exército, general Francisco Roberto de Albuquerque, explicou que a parceria permitirá o avanço do setor de Inteligência do Exército. "O setor da Inteligência, fundamental para o sucesso em qualquer tipo de ação, precisa de outros vetores, de uma tecnologia mais avançada", disse.Ele definiu os vetores como "imagem, sinais - através de equipamentos de guerra eletrônica específicos - e o homem".O general citou como exemplo o monitoramento da fronteira. "Não há quantidade tão grande de efetivo que permita vigiar toda uma fronteira. E esses outros vetores permitirão um melhor trabalho na fiscalização. Nosso trabalho estará sendo aperfeiçoado."

Agencia Estado,

28 de junho de 2004 | 14h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.