Exército vai ajudar no combate à dengue em Campinas

Pelo menos 100 homens vão atuar na próxima semana para reforçar medidas de prevenção contra doença

Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo

23 Janeiro 2013 | 19h08

CAMPINAS - Com um novo vírus em circulação e o fim de um contrato que vai tirar das ruas 80 agentes de saúde, o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), solicitou nesta quinta-feira, 24, apoio ao Exército para combater a dengue na cidade. Pelo menos 100 homens da 11ª Brigada de Infantaria Leve vão começar a atuar na próxima semana na cidade para reforçar as medidas de prevenção contra a doença.

"Há uma orientação para que façamos esse tipo de ação, que já tem ocorrido em outros locais do país", afirmou o general Tomás Ribeiro Paiva, comandante da 11ª Brigada. Os militares vão ajudar nas ações de conscientização da população e na eliminação de criadouros. Para isso, receberão treinamento da prefeitura. O Exército também utilizará cinco caminhões para a remoção de lixos e entulhos.

"Nossa maior preocupação é que algumas medidas preventivas que deveriam ter sido tomadas no ano anterior não foram feitas. Além disso, temos um novo tipo de sorologia, a dengue tipo 4, e o desligamento dos profissionais contratados pelo Serviço de Saúde Dr. Cândido Ferreira", afirmou o prefeito.

Casos. Sete casos de dengue foram confirmados este ano, sendo três deles no Jardim Campo Belo, periferia da cidade. Há ainda outros 106 casos suspeitos. O vírus tipo 4 é uma das maiores preocupações para o Departamento de Vigilância em Saúde."O problema é que uma pessoa que era imune a algum outro tipo de dengue é suscetível a esse vírus. E se uma pessoa pega a doença pela segunda vez, exige mais cuidados", disse a diretora, Brigina Kemp.

 

Mais conteúdo sobre:
Exército Campinas dengue combate verão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.