Expedição descobre rato gigante na Indonésia

Cientistas encontraram ainda nova espécie de marsupial em florestas de 'mundo perdido'.

BBC Brasil, BBC

18 de dezembro de 2007 | 17h20

Um roedor gigante, cinco vezes maior do que o rato comum, foi descoberto por uma equipe de pesquisadores americanos na área montanhosa de Foja, nas florestas da Ásia.O rato gigante Mallomys tem 1,4 quilo e é uma das duas espécies de mamíferos que podem ser novas para a ciência e que foram registradas durante uma expedição a uma área descrita como "mundo perdido", na Indonésia.Ambientalistas descobriram também uma espécie de gambá pigmeu - um dos menores marsupiais do mundo - em uma das viagens para a remota região norte da província de Papua.Os cientistas da organização americana Conservation International (CI) também conseguiram filmar os rituais de acasalamento de vários pássaros raros pela primeira vez."É reconfortante saber que existe um lugar na Terra tão isolado que continua sob o domínio absoluto da natureza", disse Bruce Beehler, líder da expedição.As duas espécies descobertas estão sendo estudadas atualmente para estabelecer se elas são realmente novas.Esta foi a segunda viagem da CI até as montanhas de Foja, parte da Bacia do Mamberamo. A região é considerada a maior floresta tropical quase intacta da Ásia.Em 2005, a área foi apelidada de "mundo perdido", depois que cientistas descobriram dezenas de novas plantas e animais na floresta fechada.A descoberta mais surpreendente desta segunda viagem, em junho de 2007, foram as duas novas espécies de mamíferos: o gambá pigmeu Cercarteus e o rato gigante Mallomy."O rato gigante é cerca de cinco vezes maior do que um rato comum, de cidades", disse Kristofer Helga, cientista do Instituto Smithsonian, em Washington, que participou da expedição."Não tem medo dos humanos e, aparentemente, veio várias vezes ao acampamento durante a viagem."Os pesquisadores foram acompanhados por uma equipe de filmagem e conseguiram gravar o ritual de acasalamento da misteriosa e lendária ave-do-paraíso berlepsch, a Parotia berlepschi, também chamada de ave do paraíso, descrita no século 19.A ave foi "redescoberta" em 2005 pelos cientistas da CI, depois de 20 anos sem registros de sua presença por cientistas ocidentais."Ficamos ali, admirados, enquanto o macho pulava entre as mudas de árvores, em volta da entrada de nossa trilha, movimentando rapidamente as asas, com plumas brancas, e assobiando sua canção de duas notas para a fêmea", disse o cientista Bruce Beehler.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.