Expedição encontra raro lagarto de quatro dedos

Depois de 35 anos, o Amapasaurus tetradactylus, ou lagarto de quatro dedos do Amapá, voltou a ser registrado. Uma expedição científica pela Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Iratapuru conseguiu encontrar duas dessas relíquias neste trecho da Floresta Amazônica, entre os Estados do Amapá e do Pará.Até hoje, apenas dois espécimes haviam sido estudados, um encontrado em 1960 e outro em 1969. A espécie foi descrita em 1970.Existe mesmo?Esse lagarto é realmente bastante diferente. Todo mundo duvidava que ele existisse, mas agora temos esses dois outros exemplares?, disse Teresa Ávila-Pires, pesquisadora do Museu Paraense Emílio Goeldi e uma das principais especialistas em lagartos amazônicos.?Podemos falar praticamente em endemismo. Com certeza a ocorrência dessa espécie não deve ultrapassar os estados do Pará e do Amapá.?De tamanho pequeno, três a quatro centímetros, coloração cinza escuro no dorso e cinza claro no ventre, o nome dado à espécie diz respeito à principal característica do animal. Os parentes mais próximos deles tem cinco dedos nas patas anteriores e não quatro.IncógnitaOs lagartos coletados agora pelos cientistas estavam a 130 quilômetros de onde os outros exemplares haviam sido capturados nos anos 1960.?A espécie é realmente uma grande incógnita. Não sabemos nada sobre ela, a não ser que vive no interior da mata?, afirma a pesquisadora do Museu Goeldi, que está preparando um artigo para comunicar as duas descobertas à comunidade científica.?Vamos fazer uma nova descrição da espécie. Os dois exemplares estão em bom estado.?Inventários BiológicosA coleta dos lagartos faz parte do Programa de Inventários Biológicos, realizado por meio de expedições científicas a vários pontos do Corredor de Biodiversidade do Amapá.A expedição foi liderada por Jucivaldo Lima, do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa).Participam da iniciativa, além do Ipea, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Secretaria de Meio Ambiente do Amapá e a ONG Conservação Internacional.

Agencia Estado,

13 de junho de 2005 | 10h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.