Fabricação das Soyuz pode ser afetada pela crise financeira

Recurso para as naves tripuladas ainda não foi entregue devido a indefinições do governo com relação à crise

Efe

24 de outubro de 2008 | 14h20

A fabricação das naves tripuladas Soyuz pode ser afetada por falta de financiamento, advertiu nesta sexta-feira, 24, Vitali Lapota, diretor da corporação russa especializada na produção de aparelhos espaciais.   Veja também:  Nave Soyuz retorna da ISS e aterrissa no Casaquistão Cientista teme efeito devastador da crise financeira   "Se nas próximas dois ou três semanas não recebermos adiantamentos ou créditos não poderemos assumir a responsabilidade pela fabricação das Soyuz", disse Lapota em entrevista coletiva no Centro de Controle de Vôos Espaciais (CCVE) da Rússia, nos arredores de Moscou.   O funcionário explicou que dois terços dos recursos usados para a fabricação das Soyuz se originam em créditos e até agora sua corporação não recebeu os fundos necessários.   Lapota afirmou que isso se deve o fato de o governo não ter ditado ainda a resolução para a concessão dos empréstimos e à crise financeira mundial.   "Não recebemos os créditos e não temos esperanças de que os bancos serão condescendentes conosco", acrescentou.   As naves Soyuz serão o único veículo de abastecimento e revezamento de tripulações da Estação Espacial Internacional (ISS) depois que as naves americanas deixarem o serviço em 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
Soyuzespaçorússiaciência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.