United Space Alliance/Nasa
United Space Alliance/Nasa

Falha em dois paraquedas danifica novo foguete da Nasa

Gerente da missão diz uqe dano causado pelo impacto no oceano não reduz o sucesso do teste

Associated Press,

30 Outubro 2009 | 16h13

Dois dos três paraquedas que deveriam fazer o primeiro estágio do foguete Ares I-X, lançado no início da semana pela Nasa, descer suavemente no Oceano Atlântico falharam, e a peça foi danificada no impacto com a água. O resgate do estágio foi realizado para que os engenheiros da agência espacial possam estudar suas condições após o uso.

 

Foguete criado para substituir ônibus espaciais faz 1º voo

 

O gerente da missão, Bob Ess, disse que o dano é "irrelevante", porque esse estágio não deve voar novamente. A falha dos paraquedas não diminui o sucesso do lançamento de quarta-feira, afirmou ele.

"Não deem muito destaque a isso", pediu ele aos jornalistas. "O negócio com o paraquedas foi tipo, 'ei, olhe só'. Não estamos preocupados com isso. Não estamos fazendo nada incomum. Estamos fazendo apenas os nossos testes normais de pós-voo".

 

Todos os três paraquedas do primeiro estágio abriram-se após o voo de dois minutos. Um fechou-se logo em seguida. Outro só se abriu parcialmente.

 

O estágio, na prática, teve a queda suavizada pelo equivalente a um paraquedas e meio.

Ess disse que as cordas dos paraquedas podem ser culpadas, mas os engenheiros não saberão com certeza até que as partes sejam inspecionadas, na próxima semana.

 

O teste de US$ 445 milhões foi o primeiro passo da Nasa em seu esforço para substituir os ônibus espaciais e, um dia, levar astronautas de volta à Lua. A Casa Branca pode alterar essa programação, no entanto, e cancelar de vez o Ares I.

 

Indicações iniciais dão conta de que o foguete se manteve "firme como uma rocha" durante o lançamento. Ano passado, alguns engenheiros manifestaram temores de que o foguete pudesse vibrar excessivamente ao ser lançado.

Mais conteúdo sobre:
nasa ares contellation

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.