Faltam voluntários para limpar praias de SP

Equipados com camisetas, bonés, sacos plásticos, luvas e muito boa vontade, mais de 3 mil voluntários vão invadir 103 praias do litoral paulista neste sábado em busca de lixo. Percorrendo as areias das praias de 14 municípios do litoral, os voluntários vão incluir o Estado de São Paulo no Dia Mundial de Limpeza das Praias, organizado há 16 anos pela ong norte-americana The Ocean Conservancy.O trabalho será das 8 às 13 horas. A Fundação Mar (Fundamar) em São Sebastião, no litoral norte, é a responsável pela coordenação do evento. ?Este é o quarto ano, e mais voluntários estão dispostos a limpar tudo?, afirma o presidente da fundação, Silvio De Angelis Junior.Segundo ele, além dos 3.250 voluntários cadastrados, turistas e moradores também vão ajudar na limpeza. Além de recolher toneladas de lixo ? no ano passado foram 8,600 quilos ? os voluntários também vão catalogar o material encontrado em cada região. ?Depois do lixo separado e catalogado, é possível identificar quem está sujando mais as praias e tentar conscientizar as pessoas deste mal.?Segundo o presidente da Fundamar, os campeões da sujeira das ruas por moradores e turistas são sacolas plásticas de supermercado e pontas de cigarro. Depois de separado, o lixo reciclável será enviado para cooperativas que transformam sucata em novos produtos.No ano passado, o Dia Mundial de Limpeza das Praias mobilizou 77 países e cerca de 750 mil voluntários, tendo sido recolhido um total de 5,7 mil toneladas de lixo. No litoral sul, 33 praias estarão passando pela faxina, e, no litoral norte, 70, sendo 37 em São Sebastião.Em Santos, estão na mira dos voluntários, praias como Gonzaga, Boqueirão, José Menino, Pompéia e Embaré. Já em Ubatuba, 650 pessoas vão percorrer praias mais movimentadas, como Itaguá, Vermelha do Norte, Perequê e Itamambuca.Apesar da empolgação dos voluntários defensores do meio ambiente, as praias Grande e Maranduba ficarão de fora desta iniciativa. ?Infelizmente não podemos obrigar nenhuma comunidade a se organizar. Dependemos da boa vontade das associações de bairro. Por isso, nem todas as praias vão estar inseridas neste trabalho?, explica a oceanógrafa da Fundamar, Shirley Pacheco de Souza.Entre os voluntários estão pescadores, caiçaras, surfistas e estudantes, mas, segundo a oceanógrafa, todos estarão convidados a ajudar na limpeza geral. ?Hoje, cerca de 70% do lixo das águas do mar são provenientes da terra e não de embarcações.?O Dia Mundial de Limpeza das Praias será encerrado com um fato curioso. Uma tartaruga cabeçuda, achada quase morta há um mês na Praia Grande, em São Sebastião, será recolocada no mar, agora em perfeita saúde. Ela foi encontrada em estado grave e levada para o Projeto Tamar, onde foi medicada.?O problema era que a tartaruga havia comido muito lixo e ia morrer se não fosse achada. Ela ficou uma semana defecando lixo?, diz a especialista. A tartaruga será solta no mar, representando o recomeço de uma vida, agora com menos poluição.

Agencia Estado,

19 de setembro de 2002 | 17h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.